Tradutor

E ai gente, tudo bem com vocês? Hoje começa aqui no blog, depois de algum tempo sem postagens devido justamente ao assunto, um novo estilo de conteúdo com dicas, conselhos e principalmente um espaço para compartilharmos experiências sobre: Morar sozinho (a). 


Em Fevereiro comecei a faculdade de Fisioterapia e atualmente estou me mudando de cidade, então resolvi vir aqui compartilhar um pouquinho das alegrias e desafios que essa nova etapa vem trazendo pra minha vida e acredito que também trará pra vida de todo mundo que decidir pela independência de ir morar fora de casa.


Quem nunca sonhou em sair da casa dos pais assim que completasse 18 anos, não é? Porém não é tão simples assim. A independência tem um preço e ele deve ser analisado com muita calma antes de qualquer decisão ser tomada, e o primeiro passo é lidar com a pergunta: "Quando eu devo sair de casa?". E acredite, a resposta não é tão óbvia assim. 


Vou listar para vocês 3 pontos simples que eu utilizei e considero muito importantes para tomar essa decisão:

  1. Autoconhecimento: antes de seguir qualquer outra dica, você deve treinar muito o autoconhecimento, porque assim você vai conseguir se entender e analisar de forma clara e objetiva as suas vontades e acima de tudo, se você está pronta pra isso, e se está fazendo a escolha por você mesma. 
  2. Eu estou bem comigo mesma?: se você treinou seu autoconhecimento, fica menos complicado responder essa questão. Pra responde-la você deve olhar pra dentro de sí e ver se você está pronta, e o "estar pronta" nada mais do que o estar confortável com a decisão. Quando você pensa sobre o "morar sozinha" você sente um frio na barriga, mas ao mesmo tempo um desejo de enfrentar isso? Você se considera capaz de resolver os seus problemas sozinha? Você acha que pode lidar com seus gastos financeiros? Você se considera pronta pra arcar com as consequências dos seus atos? Você consegue se imaginar lidando bem com o fato de que agora é você por você mesma? Se a resposta for sim, você está quase pronta pra sair de casa. 
  3. Eu tenho condições para a independência?: essa pergunta também requer muito do autoconhecimento para ser respondida. Você deve analisar pontos de extrema importância como: "Como está minha saúde física? Eu dependo de alguém?" "Como está minha saúde mental? Eu consigo lidar com ela sem ninguém por perto?" "Como eu ando lidando com meus problemas?" "Eu consigo guiar minha própria vida sem entrar em crise? E se entrar, eu consigo sair?". Se as respostas forem positivas, o primeiro passo pra começar a pensar em sair de casa você já deu. 
Esses 3 pontos que eu trouxe, acho que são muito importantes porque a partir do momento que você opta por morar sozinha, é com que eles que você vai ter que lidar, e sem a ajuda (pelo menos próxima) de ninguém. Vai ser você e você enfrentando tudo que aparecer pela frente. 

Claro que nem tudo do que eu listei precisa estar ok, porque muitas coisas a gente só vai aprender quando bater na nossa cara, mas a questão principal é se você se sente pronta e capaz de lidar com tudo que esta por vir nessa nova fase. 

Não adianta você decidir isso por pressão de amigos, ou simplesmente por status, porque quando as consequências baterem a única pessoa que vai estar lá pra bater de frente é você. Nem amigos, nem status vão servir de defesa pras coisas que você vai ter que passar. 

Então, quando chegar o momento de decidir, escolha por você e para você. Pense sempre no seu bem estar e no seu conforto, porque a partir do momento que você sair pela porta de casa, o mundo é seu e tudo que vem junto com ele também, inclusive os momentos ruins. 

Espero que tenham gostado e que essas dicas possam ajudar quem está com dúvidas ou com angústia quando o assunto é esse. Nos próximos posts quero trazer questões financeiras, de como escolher o lugar certo e milhões de outras coisas. Mil Beijos e não esqueçam de seguir a gente! 


Um Comentário

Deixe um comentário